domingo, 22 de janeiro de 2012

A CONFRARIA ABRE AS JANELAS DA POESIA PARA O MUNDO ENTRAR


Através das janelas o mundo pode nos ser revelado. O que existe além delas, nem sempre nos pertence, mas nos pertence totalmente a visão que temos, tão grande quanto possa ser longinquo o nosso olhar. Pensando nisso, o convite foi feito. Vamos escrever sobre JANELAS?

Estamos abrindo as nossas para os olhares que nos quiserem alcançar.


Corre o rio,
Sopra a flauta o vento de um corrego qualquer,
Passando por um lugar qualquer,
Invadindo uma intimidade solitaria
Junta-se ao pranto - tambem solitario - de alguem numa janela qualquer...
...
A vida repete-se, e porque tambem nao uma poesia qualquer?
Nao estou na janela, mas  é como se estivesse - pois estou solitario,
Escutando meu pranto interno de toda noite, pensando num rio...
Num corrego qualquer...
McMillan Hunt
.........................
Janelas

Por suas janelas desfilam mazelas
Piores seriam se não fossem elas
Viver no escuro, maior das seqüelas
... Não quer vidros negros nas suas janelas

Vigia do mundo, também te revela
Ligeira evasão, quem então era ela?
Cortina de pele, convém ter cautela
Se fecha e se abre, senha ou sentinela?

Mas quando o deus Sol, que as manhãs descongela
te vem possuir, derradeira donzela
é mais um mistério que enfim se revela

Um brilho te invade, uma cor de aquarela
e subitamente, por suas janelas
só passa o que faz essa vida ser bela.

Jorge Ricardo Dias
.......................

SERENATA

Uma guitarra cigana,
uma canção pra donzela.
Uma envolvente paixão...
... Os cuidados do pai dela.
No peito imensa mazela...
Um triste olhar de raspão.
A cruel imposição:
ter que fechar a janela.

Gilson Faustino Maia
...........................

AMADURECIMENTO

Fechado, sim, eu era;
Mas isso não mais importa.
Pois decidi abrir as portas
E escancarar todas janelas.
Edweine Loureiro

..............................

"Janela"

Jane lá
Sentada na janela
Já nela a esperar
Jane nela
Enfeitava a janela
Lá só pra namorar

Jane lá
Fechou a janela
Já nela não quis ficar

Jane nela
Viu pela janela
Lá, ele não mais acenar

Jane lá
Só lembra da janela
Já nela, apenas quando sonhar.

Nina Barroso
..................

Assisti da janela, muita gente passar
Essa gente que caminha sem parar
Levando histórias para espalhar
Trazendo histórias para contar
Da minha janela sempre aberta
Para história de gente escutar...
Cláudia Monte
.........................................

POEMA CONVIDADO:

Velhinha na janela
todo mundo que passa
é visita pra ela.

Ricardo Silvestrin

.......................



janela do nosso quarto
refletida nos teus olhos
sou pássaro em céu azul

Renato de Mattos Motta

................



Da janela vejo a Loba correndo ...
De encontro à lua, um uivo...
Uma dor solitária...

Ana Lucia Souza Cruz

....................



O mundo da minha janela

Abri a janela e vi o mundo
Acordara de um sonho profundo
Olhei inquieto para os lados
Os pássaros estavam calados
Esfreguei os olhos com apreensão
Mas quando abri, era só escuridão
Meu mundo estava muito diferente
Acabei por me tornar descrente
O homem destruía a natureza
Havia fome, violência e pobreza
E de tanta dor e sofrimento
A brisa deixara de ser vento
O poeta se calou de indignação
Chocado com tanta opressão
Nos rostos que outrora sorriam
As lágrimas tristes escorriam
Mas algo me animava a viver
Do qual não podia me esquecer
O sorriso da criança na rua
Que ajoelhada pedia à lua:
Senhor, mande-me estrelas de verdade
Que possam brilhar no meio de tanta maldade.

Filipe Medon

..................


Da janela se avistava
um mundo em movimento
Na janela da alma, sofrimento...

Paulo Roberto Cunha

....................

Janelas da Vida

Janelas da vida que abrem e fecham
amores que vem e vão
que nos tiram da solidão
....
Janelas da vida
que nos trazem alegrias,
nos fazem ver passar a vida.
por um angulo diferente
que nos transformam.


Janelas da vida
que nos fazem sorrir, cantar.
que nos fazem amar
sem sabermos se seremos amados.

Janelas da vida...
Carina Bomfilioli

..................


Janelas paralelas

Convido-os a entrar
Mas aviso
Aqui não é possível ver
... Apenas enxergar

Da janela de minha alma
Observe
Os sentimentos
Um pensamento
Breve

O vento acariciando os roseirais
A vida nua
O corpo aberto
Um porto sem cais

Silêncio exposto
Sorriso amarelo
Chuva em meu rosto
Som do que é belo

Entre
Sente ao lado da janela
Enxergue
Não veja a vida fora dela

Há muito a ser vislumbrado
É só abrir a janela ao lado.

Diogo Marcello
..............
Um trovão passou
Um som assustador
Abri as minhas janelas
Para as flores,as mais belas

... Mas o vento só trás desgraça
De um coração que só ameaça
Mas não bate, não mais.
Guilherme Sant'Anna
..............
 
MANHÃ

Da janela do Cairo
se vê o mar
um pedaço ora azul
ora cinza
... Nele navega um barco
branco e leve
-parece de papel.

Neste delírio
que a cena provoca
ele sai do oceano
e desliza
sobre a minha folha
em branco
-as ondas viram palavras.

Desperto e está feito
este poema molhado.
Maria do Carmo Bonfim
.....


vitral de eros

na janela entreaberta
restos de sol riscam
traços de carícia
não dormida
e se banham no canto
que as nuvens ideadas
precipitam
na evidência nua da vitroíris
- excrescência a prumo -

fim de tarde
janela
entre
aberta

Daniela Damaris
................

Janela...

Verde portal de esperança...
Nela lembro-me criança...
Hoje me torno mulher...
É nela que miro com fé!...
Um por de sol colorido...
Um bailar de pássaro, tão lindo!...
Cheiro de terra molhada...
E nessa paz encantada,
debruçada, no beiral, singela...
Meus sonhos se abrem feito janela,
para um nascer de sol radiante!...
E muitos sonhos que eram distantes,
hoje, mais perto estão...
Fito, doce de emoção...
Pois tudo depende apenas o meu “abrir”...
Nela, o sonho a porvir...
E de novo me vem à lembrança...
Tradução de janela: saudade e esperança!

Por Luana Lagreca

.................................

Catarina na janela
sinal de poesia chegando
neste canteiro confraria
os versos estão brotando...

Paulo Roberto Cunha

...................


Janelas, janelas... 
 
Janelas que se abrem
a uma vida melhor
como uma voz ao horizonte
ao encontro do infinito.
 
Janelas corrediças
que vão pra lá e pra cá
buscando o certo sentido
no unitário movimento.
 
Janelas entreabertas
que se encontram ao por do sol
se fecham quando se faz morto
no lindo cair da noite.
 
Janelas porque janelas
as únicas que lindas donzelas
se fazem princesas a serenata
ouvindo a melodia.
 
Janelas inspiração do poeta
que tentando já a luz da lua
se faz triste, se faz profeta
para entender sua partida.

Rodolfo Andrade

5 comentários:

נลиลเиล disse...

Primeiramente quero agradecer, por ter sido recebida de braços além de abertos por todos da CPI, ter recebido tanto carinho e atenção.

Eu admiro a Catarina desde um concurso de poemas que fui participar e me atrapalhei em mandar por arquivos e ela disse que eu mandasse como pudesse, até no lugar que escreve o email mesmo, pois toda arte merecia ser compartilhada. Tem como não admirar? Meses depois eu encontro o grupo no face e me sinto encaixada pela primeira vez em algum lugar.

Edwaine eu admiro de paixão, e é um carinho inexplicável, pois mal nos falamos em vias de fato.

E ver um poema meu junto com um dele é surreal.

E todos que fazem parte da CPI tenho certeza, que logo serão tão admirados por mim quanto admiro a Catarina e Edwaine.

Desculpe o livro, mas todo poeta escreve muito não é mesmo? rs

Beijo =*

Catarina Maul disse...

Nina querida, eu nem lembrava disso. E não lembrar me faz ter a consciência de que sou mesmo quem penso ser, sem estratégias ou marketing pessoal. No anonimato do seu poema, em um email solto em mais de 200, eu realmente trato todas as pessoas com o carinho e o respeito que tenho a obrigação "humana" de tratar. Penso que, se não for assim, que direito tenho eu de ter direitos?!
Fico feliz que esteja encaixada. Todos aqui nos sentimos da mesma forma.
É o bem fazendo uma cadeia... e somos todos elos.
Beijos, querida.

poesiad'alma disse...

É para mim um prazer compartilhar desta janela, onde comtemplamos com amor todo o horizonte da poesia...

Abraço a todos!

edweinels disse...

Feliz em pertencer a Confraria e encontrar, alem das Amigas Catarina(sempre muito atenciosa), Janaina e Ju; novos amigos, poetas talentosissimos e pessoas maavilhosas: todos voces. Muito feliz de estar fazendo parte desta familia.

Abracos poeticos.

Edweine

נลиลเиล disse...

Eu leio e me emociono sempre. Muito feliz, e seja o que for que aconteça, jamais desistam, se há vida, há chances, esperanças, sonhos e erros...muitos erros. Pois isso é viver plenamente.

Beijos queridos.