sábado, 21 de janeiro de 2012

Amor ou Paixão?

No dia 20 de janeiro, Dia de São Sebastião (Salve Oxossi!!!), postei um poema que fala da efemeridade da paixão. Um poema simples, despretencioso, mas que serviu de elemento para uma discussão quente. Algumas questões foram levantadas: O que é melhor, a paixão ou o amor? Ambos têm seu valor, seu lugar ao sol? Amor é bom, paixão é ruim? Enfim, os poetas se manifestaram.... o resultado vamos seguindo em nosso blog.

"Meu poema causador do causo"

Dez dias de paixão e a conta...

Simples assim:
Um assunto
A magia
Um olhar!
Mil assuntos
Alquimia
Mil olhares!
Mil mensagens
Mil viagens
Mil horas
Que pareciam ter 5 minutos
De tão intensas
De tão breves
De tão leves!
Mas ai...
Passou.
Como sempre passam as paixões.
Tão velozes quanto intensas
Tão voláteis quanto imensas
E não resistem nem a uma estação.
Catarina Maul
.........................................................
Então o Renato de Mattos Mota disse:

.......................

E, como o assunto virou o amor, Edweine Loureiro quis fazer sua homenagem ao Japão, terra que o acolheu e, principalmente, a uma japonesa que lhe fez encontrar o amor.


A UM SOL NASCENTE

Vê, amor, é o Japão;
... a terra que nos uniu...
onde ouvi teu coração
e minha alma te sorriu.

........................


A Maturidade do Amor

Só amo os amores bons
Os amores que não desamam
Os amores que não desandam
Nem complicam a emoção.

Se confundem, se afetam
Se banalizam, não completam
Se indecisos se corrompem
E tem demais talvez, senão...
Não servem, eu já desamo
Vira ar no furacão.

Só amo os amores bons
Os amores com poesia
Os amores doação.

Amores que necessitam
Demais de explicação
Cansam a filosofia
Perdem o sentido, a razão.
Desbotam, desqualificam
A intenção.
Morrem, fenecem no vento
Semente abortada no tempo
Viram vulto na amplidão.

Catarina Maul
.............................



NÃO AMO NINGUÉM

Há dias que paro, olho em volta,
me deprimo num instante, sem sentir...

... Alimentando desejos,
sentimentos que eu já não aguento.

Mas não ligo pra essa dor, Nem preciso fazer contato
Ela ja é tão presente, cotidiano, fato...

Eu amo por vezes só pra despetalar a flor
Pra dizer que gostei, que provei do seu amor
E pra mim ainda não é cruel dizer...

Não amo ninguém, por que ninguém diz o que eu quero ouvir.

Não amo ninguém, por que nem eu sei o que eu quero ouvir.

Eu não amo ninguém... Que alívio poder dizer, sentir desamor, ter prazer...

Não amo ninguém, por que ninguém diz o que eu quero ouvir.

Não amo ninguém, por que nem eu sei o que eu quero ouvir.

Bem trash esse sentimento morto
Coberto de gelo, trancado num poço

Vigiado por dois mil cavalos calados
Que ainda movem meu corpo por onde vou

E fazem só o que elas querem,
só o que elas querem.

Mas eu não amo ninguém,
não me peça por favor.

Eu não amo ninguém,
Então fecha a porta... Meu amor.
Henrique Fernandes
 ..................


O HOMEM NA ESTAÇÃO DO AMOR
 
Amor que é amor, não morre.
Amor é dardo no peito.
Amar é viver de porre,
embriaguez é o conceito.
 
Deixa bobo qualquer homem
diante de sua amada.
As emoções o consomem,
já nem pensa mais em nada.
 
Ah, o amor! Quanta ternura
e quanta dedicação!
Quanto altruísmo e lisura
que brotam nessa estação!
 
Porém se amada o rejeita
ou há outro impedimento,
não existe outra receita,
só saudade e sofrimento.

 Gilson Faustino Maia

.....................

POETA VISITANTE

Talvez
 Talvez o amor seja um dom
Que poucos têm
Ou um momento bom
Que traga vaivém
Talvez um encontro  puro
Que colha saudade
Ou fique pra sempre na alma
Num pedaço de vida
Quem sabe feliz de maduro
Fonte de verdade
Feito quem colhe calma
Num recanto da partida.
Se amar é cuidar
No outro ou no abandono
Eu amo de ficar
Pra sempre no seu outono.

 Carlos Roberto Ferriani    

4 comentários:

edweinels disse...

Honrado e Feliz, Confrades, pelo espaco para postar esta homenagem a meu AI (Amor, em japones). Saudacoes. Edweine

Catarina Maul disse...

O espaço é nosso, Edweine. A senha é POESIA.

edweinels disse...

E comentando o tema: AMOR, claro: tao mais universal (entre casais, filial, enfim). Mas, ao mesmo tempo, com o tempero da Paixao. Por que nao? Abracos, confrades.

נลиลเиล disse...

O Amor , pra mim, é a melhor das inspirações.