quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Dia do Orgasmo

De acordo com a Wikipedia, "O Dia Mundial do Orgasmo foi informalmente criado na Inglaterra no dia 31/07 por redes de sex shops. Estas realizaram pesquisas que revelaram que 80% das mulheres inglesas não atingem o clímax em suas relações. Em termos de insatisfação sexual, os brasileiros não ficam longe. Um estudo conduzido pelo Projeto de Sexualidade da USP (ProSex) detectou que 50% das brasileiras têm problemas relacionados à falta de orgasmo. Cerca de 12 milhões de homens sofreriam de alguma disfunção sexual".

Claro que essa data tão quente não passou imune pelos poetas informais da Confraria. E quem deu o ponto de partida foi o Avel Ravel.


Orgasmo
Sentir assim
Tão intensamente
O gosto do teu remorso...

Avel Ravel
Rio de Janeiro - RJ


...........................





...............................



ficando nua
acredite
não é só
a roupa 
que dispo

não fica 
descoberto
apenas
braços
seios
púbis
pelos
pernas

ficando nua
para ti
(além do corpo)
a alma
te revelo

Benette Bacellar
Porto Alegre - RS


..........................


Poesia
toma posse
de mim

temo 
o transe 
vertigem
orgasmo

pasmo
percebo paz

serena
zen
fim

Ricardo Mainieri
Porto Alegre - RS


.............................



Prazer intenso ...

Quando pensamos no prazer,
Já associamos nossos corpos ardentes,
Mas esquecemo-nos de algo muito maior:
O orgasmo intelectual, esse penetra bem
Fundo nas nossas mentes e continua latejando
Nossos neurônios, provocando êxtases infinitos.
Viagem quente no mundo da literatura,
Na expressão do poeta,
Na imagem,
Viagem que cria em nossa mente;
Já nossos corpos copulam, 
Mas após o prazer imediato
Cada um vai embora...
Mas o que fica em nossa mente não,
Desejo intenso de quere mais...
Arte abrasadora
Vem queimar minha alma.
O...R..G..A..S...M..O...
Literal em ti eu me aqueço.

JG Poeta da Alma
São Paulo - SP


......................



Encontro de Corpos

Organizo calmamente os travesseiros
Para neles mergulharmos os instintos
Na frenesi da previsão, pois nossos cheiros
Juntos, provocam os desejos mais famintos. 

Aguardo nosso encontro tão fervente
Voraz devoro toda a sintonia
No improviso tão real e delinquente
Desse teatro que descontrói a harmonia. 

Um pacto entre nós, dança perfeita
Calores tão intensos, só loucura
Quando vem, a minha agenda abre e aceita
E rompe com qualquer outra estrutura. 

E assim, nesse tintim dos nossos corpos
Fica o orgasmo do encontro e plenitude
Depois remanso, calmaria, tempos mornos
Para acordar do que foi tudo... longitude. 

Catarina Maul
Petrópolis - RJ


.......................



Não tem tempo ruim,
Em qualquer momento,
Em todos os lugares...
Liberta a fantasia,
Se entrega à orgia,
Nas preliminares...
Ora, queres carinho,
Sua pele macia,
Pedaço de mal caminho..
Ora, queres pegadas,
Apertando seu corpo,
Minhas mãos pesadas...
Ora, me pede beijinhos,
Junto com carícias,
Bem devagarinho...
Ora, me pede tapas,
Me arranha todo,
Totalmente excitada...
E nesse vai e vem,
Sou submisso,
Como ninguém...
Pra lhe dar prazer,
Lhe satisfazer,
Pro nosso bem...
Ora, chora,
Ora, sorri,
Tom de sarcasmo...
Completamente doida,
Com os olhos virados,
Surtando num orgasmo...

Felipe Quirino
Rio de Janeiro - RJ


............................

Ao seu prazer

O vento que me toca
traz o cheiro do desejo
que deixei cativo pela razão
de saber que não posso tê-la.

Esse corpo que meus olhos fitam 
devotando a ele arrepios
e as mais intensas carícias
que daria se pudesse tocar-te.

Curvas que percorro
(em devaneios)
com esses lábios sagrados
que dizem poesia na tua pele
e tocam teu sexo com paixão.

Insensato corpo que se une ao teu
transcendendo a cada espasmo
nesse orgasmo da minha alma que 
encontrou o prazer ao te fazer mulher.

Delírios desse teu homem
que possui-te em pensamento
ao sentir o toque do vento...
que te trará novamente amanhã.

Alex Avena
Petrópolis - RJ


.........................


Nos devaneios
Noturnos
Te sinto
Perto de mim
Te busco
Para dentro de mim
Teu cheiro
Me inebria
De tesão
Embriaga-me
De prazer
Na fusão
Das almas
No enlace
Dos corpos
No gozo
Da paixão
No clímax
Do amor.

Condessa Cavalcanti
Porto Alegre - RS


..........................


Orgasmos Múltiplos

Gozo da vida
Gozo de amor
Gozo de Paixão
Gozo em poesia

Múltiplos gozos
A vida me dá

Me tira de órbita
Me leva para outra dimensão
Na imensidão do infinito

Sem tempo
Sem pressa
Apenas
Simplesmente
Entrega

Na liberdade
De amar
Na intensidade 
De viver

Muitas nuances do sentir
Muitos arrepios de emoção
Tantos momentos de transição

Transmuto 
A cada gozo
No olhar

No encontro 
De amar
Na intuição 
Do coração

Na alma 
Delirante
No reencontro inesperado.


Condessa Cavalcanti
Porto Alegre - RS


............................


Lânguida na cama
Acordo gata me enrosco
Ronrono, te chamo.

Ana Lucia Souza Cruz
Petrópolis - RJ


.......................


Orgasmos e rezas

Ao carrego das saias
Recolhendo-se apressadas...
Aos passos na noite escura,
Como um raio - rompe.

A espingarda na mão,
Deleitando fumo pela venta,
Acordando toda gente...
Mas, reconduzindo-as à sombra de seus quartos.

Em casa, mais maridos ferozes...!
Pela saída fora da estação,
E pela altura de canários dentro da igreja,
Em gaiolas enfeitadas de flores.

Cantam elas, loucas de amor que o padre prega sermão.
Tais, desafogamentos encontram paz, só diante de um altar:
Pelo orgasmo frenético que a penitente esfola joelho no chão.

E no movimento de abre e fecha das coxas, postas a rezar.
O alto da fé perde-se lá dentro da imaginação...
Que os corpos penitentes, desse pecado não pedem o perdão.

De Magela
São Paulo - SP


........................


Enfraquece e inunda

Arrancou minha roupa...
Procurou com seus dedos
Onde não eram os caminhos
Que o amor exalava nossos medos

Que vergonha!
Que desejo era aquele
Que não esperava assédio
E o que se escondia nele

Pressa... 
Aquela que percorreria nossa vida
Jovem de coração, mocidade no rosto.
Transborda a vontade contida

Então, mutilamos o medo.
Até sair dele uma lágrima quente
Aquela que se chora na aflição mais profunda
Pois, o amor quando acontece enfraquece e inunda.

De Magela
São Paulo - SP


.........................


TUDO QUE QUERO

serás uma serpente de Paraísos falsos
ou um druida com calda e asas de dragões
cuspindo pétalas com orvalho
tudo que hoje quero 
mãos no passeio ensaiando sombras
que dançam no silêncio
cão sedento, cabelos de prostitutas
ponto de ônibus quando chove nos bairros
sax sem uso de onde nascem
lírios roxos em contato com o jardim
de meu esquecimento na noite
minguando as luas na boca dos outros
um frenético despertar dos sentidos
orgasmo
nas vagas alucinações e delírios
indecifráveis que perturbam o sono dos loucos
e dos mortos...

Adilson Alchuiy
Santo André - SP


...........................


Essências

Chega-me inteira em teu perfume
Inebriado por ti procuro o toque
Corpos que ardem, mãos que exploram...
leio-te em braile.

Percebo cada mudança de tua respiração
dispara contra meu peito teu coração
Línguas invadem, torturam...
Se procuram.

Te espero aflito, quase grito
Sussurros e gemidos anunciam sua vinda...
Bem vinda!
Sou certeza a te esperar.
Riscas o céu feito cometa...
Deságuo.

Respiração inda ofegante.
Sou leveza e calmaria,
anjo caído sou... 
Por fim, silêncio.

Aprisionado neste gozo,
neste cheiro...
Essências de nós.

Paulo Roberto Cunha
Petrópolis - RJ

Um comentário: